terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Psicóticos Diletantes

Não.

Chega da ditadura hipócrita dos dicionários.

Estamos aqui como idiotas que brincam de ser gênios que brincam de
ser idiotas. Basta de lacinhos & sorrisos falsos & da mania de querer
fazer/ser algo pretensamente útil. Não há ambição: já somos o que um
dia quisemos ser — e já é demais.

Estamos aqui como um pelotão de fuzilamento que não tem munição e
como o condenado que prefere não ver seu último desejo atendido.
Somos pela nossa verdade contra a sua, pela ilusão sintética contra a
realidade artificial, pela ociosidade criativa contra o esforço estéril, pela
incerteza contra a segurança, pela doença venérea contra o ataque
cardíaco, pela bobagem contra a coerência, contra a ganância pela
mendicância, e assim por diante, porque isto já está cansando.

Estamos aqui porque somos feios. Não admitimos controle. Danem-se
os vizinhos, gostamos de escutar música bem alta, de madrugada,
sapateando na janela. Dane-se Freud, queremos garotinhas
impúberes em camas forradas com linho, sangue e ferrugem. Dane-se
Lombroso, não queremos ninguém analisando nossos crânios cheios
de imperfeições. Danem-se Deus e o Diabo, queremos sodomizar
anjos assexuados enquanto Dante nos mostra o terceiro círculo. Dane-
se a tradição, a família e a propriedade: queremos a ruptura, a tribo e o
comunal. Dane-se quem nos sorri, queremos fazer caretas. Danem-se
os carros, estamos indo a pé.

Estamos aqui porque não poderíamos estar em algum outro lugar, por
mais que queiramos. Queremos sexo & poesia & álcool & anarquia &
literatura & drogas & música & caos & teatro & morte & olhos & magia
& acasos & vinho & Arte, seja lá o que isso queira dizer. Não queremos
casamento & discursos & trabalho & autoridade & hierarquia & esporte
& convenções & rotina & religião & sisos & planos & salário & gravata
& respeito & Amélia que era mulher de verdade.

Estamos aqui porque temos pernas que terminam em pés de unhas
compridas. A caridade pode ser mesquinha, o assassinato pode ser
uma obra de arte. A virgindade pode ser uma maldição, o estupro
pode ser providencial. A magreza pode ser doença, a gordura pode ser
virtude. A saúde mental pode ser um par de algemas, a loucura pode
ser a redenção. O superego pode ser padrasto cruel, o id pode ser
amante voluptuosa. O politicamente correto pode ser imoral, o
estupidamente sincero pode ser amável. Encham de sangue nossa
taça de abominações, ou o faremos sozinhos.

Estamos aqui para encher o saco, e ponto final.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

RISQUE MEU NOME DAS REDES SOCIAIS

Você amigo, você fofolete, acaba o casamento, o romance, a novela, o amancebamento, o caso, o rolo, mas continuam acompanhando a vida do(a) ex no Orkut,no Facebook, nas redes sociais mais intimistas.
Um desastre. Podendo evitar, meu caro, minha princesa, evitem. Corra fora rapaz, corra, Lola, corra. Aproveitem que os laços foram cortados no plano real e passem a régua também nas espumas da virtualidade.
O mais é sofrimento à toa, reacender a fogueira do ciúme, masoquismo, perversão, sacanagem. Um risco que não vale mesmo a pena. Depois não digam que foi por falta de aviso.
Qualquer recado ou post, mesmo os mais inocentes ou sem propósito, vira um inferno na terra. Para completar, tem sempre alguém mais sacana ainda e entra no jogo, só por ruindade, dando linha na pipa da maldade.
Prefira não, amigo, caia fora mesmo, Lola.
Não adianta nem tentar dizer que não liga, que é apenas virtual, que leva na buena, que acabou tudo bem e que é civilizadíssimo. Melhor evitar aperreios no juízo.
Você já prestou atenção, meu jovem, na fartura de tragédias amorosas que tiveram como espoleta da discórdia um simples comentário na Internet, uma foto sensual no Orkut, uma alteração no status do relacionamento?
E tem outra: precisa ser muito tranqüilo para não ficar fuçando a vida do(a) entidade chamada ex. Quem resiste ai levante o dedo.
Melhor evitar o brinquedo assassino chamado ciúme, esse satanás de chifre.
Sim, tem que ser forte para cair fora, para bloqueá-lo(a), para dar um tempo inclusive na amizade forçada –não há civilização no fim do amor, a barbárie e a selvageria sempre prevalecem.
Não basta o sofrimento mais do que real da ressaca amorosa? Basta.
Como recomendava a canção das antigas, risque o meu nome do seu caderno, pois não suporto o inferno, do nosso amor fracassado.
Ninguém segura essa onda. Claro que só uma minoria maluca chega à violência, ao inconcebível. A maioria, mesmo silenciosa, sofre horrores, se acaba, o velho pote até aqui de mágoa, como diria o Chico Buarque, faça não, caia fora, faz bem para manter a sanidade.
Risque o meu nome do seu Orkut, diga ao Facebook que não estamos mais em um relacionamento sério...

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

O MEDO DAS MULHERES DIANTE DA BALANÇA

Você, amigo, sai com a pequena e ela só belisca, qual um passarinho, uns saudáveis farelos ou engole umas folhinhas sem graça. Que desgosto. Você caprichou na escolha do restaurante, acordou com água na boca por um prato que só você sabe onde encontrá-lo, quer fazer uma presença, fazer bonito com a cria da sua costela.
Que desgosto, a gazela mira o ambiente com “nojinho”, de tão fresca. Uma estraga-prazeres, eclipse de um belo sabadão ensolarado.
Ah, nada mais bonito do que uma mulher que come bem, com gosto, paladar nas alturas, lindamente derramada sobre um prato de comida, comida com sustança. Os olhinhos brilham, a prosa desliza entre a língua, os dentes, sonhos, o céu da boca. Ela toma uma caipirinha, a gente desce mais uma, sábado à tarde, nossa doce vida, nossos planos, mesmo na velha medida do possível.
Pior é que não é mais tão fácil assim encontrar esse tipo de criatura. Como ficou chato esse mundo em que a maioria das mulheres não come mais com gosto, talher firme entre os dedos finos, mãos feitas sob medida para um banquete nada platônico.
Época chata essa. As mulheres não comem mais, ou, no mínimo, dão um trabalho desgraçado para engolir, na nossa companhia, alguma folhinha pálida de alface. E haja saladinha sem gosto, e dá-lhe rúcula!
A gente não sabe mais o que vem a ser o prazer de observar a amada degustando, quase de forma desesperada, um cozido, uma moqueca, uma feijoada completa, uma galinha à cabidela, massa, um chambaril, um sarapatel, um cuscuz marroquino/nordestino, um cabrito, um ossobuco, um bife à milanesa, um tutu na decência, mocotó, um baião de dois, uma costela no bafo, abafa o caso!
Foi embora aquela felicidade demonstrada por Clark Gable no filme ''Os Desajustados'', quando ele observa, morto de feliz, Marilyn Monroe devorando um prato de operário. E elogia a atitude da moça, loa bem merecida.
Além do prazer de vê-las comendo, pesquisas recentes mostram que as mulheres com taxas baixíssimas de colesterol costumam ser mais nervosas, dão mais trabalho em casa ou na rua, barraco à vista, intermináveis discussões de relação... Nada mais oportuno para convencê-las a voltar a comer, reiniciá-las nesse crime perfeito.
Moças de todas as geografias afetivas e gastronômicas, aos acarajés, às fogazzas, aos pastéis, aos cabritos assados e cozidos, ao sanduíche de mortadela, à dobradinha à moda do Porto, ao lombo -de lamber os lábios!-, ao churrasco de domingo para orgulho do cunhado que capricha na carne e sabe a arte de gelar uma cerva. E aquela fava, meu Deus, com charque, enquanto derrete a manteiga de garrafa, último tango do agreste.
O importante é reabrir o apetite das moças, pois, repito, senhoras e senhores, o velhíssimo mantra: homem que é homem não sabe sequer -nem procura saber- a diferença entre estria e celulite.
Até a próxima e desejo a todas as mulheres um final de semana com muita gula e todos os pecados capitais possíveis. Sem culpa, meninas!



terça-feira, 26 de outubro de 2010

TEATRO DAS SOMBRAS

“O circo acabou. As personagens não buscam o divertimento, o riso ou a alegria. Elas buscam quase desesperadamente, através do consumo, o confronto. Não há motivos para rir. O riso é apenas um espasmo. É preciso acreditar em uma forma de salvação.

Deus não está morto, nunca nasceu.

O palhaço perdeu seu emprego. Nós estamos perdendo os nossos. É obrigação do palhaço receber nossa arrogância. O palhaço não é engraçado. Cabe ao palhaço engolir nossa fúria. Daremos uma festa para um palhaço que não foi convidado. Já não nos importa a felicidade, importa apenas parecermos felizes.

Dividimos o mesmo espaço. Estamos no mesmo barco, que sabidamente afunda. Só nos resta uma poltrona para que possamos, de forma conotável, aguardar que as águas nos libertem. Não para uma nova ou melhor existência mas, para vida nenhuma. O palhaço enfia a cabeça no balde e a mantém submersa por cinco minutos. A água não mais purifica, apenas abafa o mundo. Às personagens restam apenas lembranças. Vagas, imprecisas, que não se compartilham, dividem o mesmo espaço no palco mas não no mesmo tempo.”

Lourenço Mutarelli



sexta-feira, 22 de outubro de 2010

FATOS DA VIDA

“Moro a duas quadras daqui”, disse a mulher mais velha. Ela tinha trinta e dois anos. Saímos da festa, eram umas três da manhã, cambaleamos pela calçada até a entrada do prédio dela. Pela primeira vez eu ia comer uma coroa. Mulheres mais velhas não me excitam especialmente, mas eu estava ansioso pra ver do que ela era capaz. Perguntei o que ela fazia, “ Sou fotógrafa”. Quando entramos no apartamento, o que vi foram quadros nas paredes. “Estes são meus quadros”, ela apontou desequilibrando-se, a boca mole, alcoolizada. Apartamento acertadinho, vasta cama de casal. Enquanto nos esfregávamos e despíamos as roupas, quase dormi. Cheiro de mulher mais velha, mais azedo, mais forte. Sei lá o que aconteceu, ela me cavalgou. Lutei pra não pegar no sono. Olhei pra ela, também parecia estar dormindo, em cima de mim. E estava. Ela desabou pro lado e começou a roncar. Não gozei e, misteriosamente, perdi o sono. Me levantei e comecei a passear pelo apartamento. As pinturas eram horríveis. Estavam no quarto, na sala, no corredor. Deveriam incinerar todas as naturezas-mortas. Não respeito pessoas que pintam frutas, nem vegetarianos em geral. Senti vontade de vomitar, mas respirei fundo e passou. Fiquei um tempo para- do na cozinha, em silêncio, aguardando que viesse algum ruído lá da rua pra me distrair. Antes que isso acontecesse, veio uma terrível vontade de mijar. Fui dedilhando as paredes do corredor. Pouco antes de chegar na porta que decerto seria a do banheiro, surgiu na minha frente um menino. Vestia um pijama verde-água de mangas compridas. Parecia um indiozinho com cabelos lisos bem cortadinhos e imensos olhos arregalados. Sua cabeça ficava mais ou menos na altura das minha bolas, ele ficou ali encarando em linha reta o meu escroto, sem dizer nada. Fiquei paralizado. Um pouco depois passou por mim, cuidando pra não se encostar, e foi em direção ao quarto: "Mãe?"... Ele me pareceu assustado. Entrei no banheiro, fechei a porta e mijei. Voltei para conferir o quarto. O menino estava em cima da cama, sacudindo a mãe. "Acho que a tua mãe tá muito cansada, ela não vai acordar. Vai dormir" eu disse pra ele, me vestindo. Ele me seguiu quando eu saía pela porta. "Tranque a chave", sugeri. "Tu não sabe onde tá o meu pai?", ele perguntou meio choroso. Demorei pra responder. "Ele deve tar viajando". Desci pelas escadas cantando uma música, fazendo esforço pra só começar a pensar em tudo isso no dia seguinte.

Daniel Galera



quinta-feira, 21 de outubro de 2010

AS MULHERES

Mulheres

"Certo dia parei para observar as mulheres e só pude concluir uma coisa: elas não são humanas. São espiãs. Espiãs de Deus, disfarçadas entre nós.

Pare para refletir sobre o sexto-sentido.
Alguém duvida de que ele exista?

E como explicar que ela saiba exatamente qual mulher, entre as presentes, em uma reunião, seja aquela que dá em cima de você?

E quando ela antecipa que alguém tem algo contra você, que alguém está ficando doente ou que você quer terminar o relacionamento?

E quando ela diz que vai fazer frio e manda você levar um casaco? Rio de Janeiro, 40 graus, você vai pegar um avião pra São Paulo. Só meia-hora de vôo. Ela fala pra você levar um casaco, porque "vai fazer frio". Você não leva. O que acontece?
O avião fica preso no tráfego, em terra, por quase duas horas, depois que você já entrou, antes de decolar. O ar condicionado chega a pingar gelo de tanto frio que faz lá dentro!
"Leve um sapato extra na mala, querido.
Vai que você pisa numa poça..."
Se você não levar o "sapato extra", meu amigo, leve dinheiro extra para comprar outro. Pois o seu estará, sem dúvida, molhado...

O sexto-sentido não faz sentido!

É a comunicação direta com Deus!
Assim é muito fácil...
As mulheres são mães!

E preparam, literalmente, gente dentro de si.
Será que Deus confiaria tamanha responsabilidade a um reles mortal?

E não satisfeitas em ensinar a vida elas insistem em ensinar a vivê-la, de forma íntegra, oferecendo amor incondicional e disponibilidade integral.
Fala-se em "praga de mãe", "amor de mãe", "coração de mãe"...

Tudo isso é meio mágico...
Talvez Ele tenha instalado o dispositivo "coração de mãe" nos "anjos da guarda" de Seus filhos (que, aliás, foram criados à Sua imagem e semelhança).

As mulheres choram. Ou vazam? Ou extravazam?

Homens também choram, mas é um choro diferente. As lágrimas das mulheres têm um não sei quê que não quer chorar, um não sei quê de fragilidade, um não sei quê de amor, um não sei quê de tempero divino, que tem um efeito devastador sobre os homens...

É choro feminino. É choro de mulher...

Já viram como as mulheres conversam com os olhos?

Elas conseguem pedir uma à outra para mudar de assunto com apenas um olhar.
Elas fazem um comentário sarcástico com outro olhar.
E apontam uma terceira pessoa com outro olhar.
Quantos tipos de olhar existem?

Elas conhecem todos...

Parece que freqüentam escolas diferentes das que freqüentam os homens!
E é com um desses milhões de olhares que elas enfeitiçam os homens.

EN-FEI-TI-ÇAM !

E tem mais! No tocante às profissões, por que se concentram nas áreas de Humanas?
Para estudar os homens, é claro!
Embora algumas disfarcem e estudem Exatas...

Nem mesmo Freud se arriscou a adentrar nessa seara. Ele, que estudou, como poucos, o comportamento humano, disse que a mulher era "um continente obscuro".
Quer evidência maior do que essa?
Qualquer um que ama se aproxima de Deus.
E com as mulheres também é assim.

O amor as leva para perto dEle, já que Ele é o próprio amor. Por isso dizem "estar nas nuvens", quando apaixonadas.
É sabido que as mulheres confundem sexo e amor.
E isso seria uma falha, se não obrigasse os homens a uma atitude mais sensível e respeitosa com a própria vida.
Pena que eles nunca verão as mulheres-anjos que têm ao lado.
Com todo esse amor de mãe, esposa e amiga, elas ainda são mulheres a maior parte do tempo.
Mas elas são anjos depois do sexo-amor.
É nessa hora que elas se sentem o próprio amor encarnado e voltam a ser anjos.
E levitam.
Algumas até voam.
Mas os homens não sabem disso.
E nem poderiam.
Porque são tomados por um encantamento
que os faz dormir nessa hora."

Luís Fernando Veríssimo



terça-feira, 19 de outubro de 2010

CICLOS

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final...
Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.
Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.
Foi despedida do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?
Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu....
Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seus amigos, seus filhos, seus irmãos, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.
Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.
O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.
As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora...
Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.
Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração... e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.
Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.
Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.
Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.
Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do "momento ideal".
Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará!
Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.
Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.

Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.
Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é. Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu próprio, antes de conheceres alguém e de esperares que ele veja quem tu és..
E lembra-te:
Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão

Fernando Pessoa

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

VALIDE ALGUÉM HOJE

Todo mundo é inseguro, sem exceção. Os superconfiantes
simplesmente disfarçam melhor. Não escapam pais,
professores, chefes, nem colegas de trabalho. Afinal,
ninguém é de ferro.
Um grande ator treme nas bases nos primeiros minutos de
cada apresentação, mesmo que a peça já tenha sido
encenada 500 vezes. Só depois da primeira risada, da
primeira reação do público, é que ele relaxa e parte
tranqüilo para o resto do espetáculo.
Eu, para ser absolutamente sincero, fico inseguro a cada
artigo que escrevo e corro desesperado para ver os
primeiros e-mails que chegam.
Insegurança é o problema humano número 1. O mundo seria
muito menos neurótico, louco e agitado se fossemos todos
um pouco menos inseguros. Trabalharíamos menos,
curtiríamos mais a vida, levaríamos a vida mais na
esportiva.
Mas como reduzir essa insegurança? Alguns acreditam que
estudando mais, ganhando mais, trabalhando mais
resolveriam o problema. Ledo engano, por uma simples
razão: segurança não depende da gente, depende dos
outros.
Está totalmente fora do nosso controle.
Por isso segurança nunca é conquistada definitivamente,
ela é sempre temporária, efêmera.
Segurança depende de um processo que chamo
de "validação", embora para os estatísticos o significado
seja outro.
Validação estatística significa certificar-se de que um
dado ou informação é verdadeiro, mas eu uso esse termo
para seres humanos. Validar alguém seria confirmar que
essa pessoa existe, que ela é real, verdadeira, que ela
tem valor.
Todos nós precisamos ser validados pelos outros,
constantemente. Alguém tem de dizer que você é bonito ou
bonita, por mais bonito ou bonita que você seja. O
autoconhecimento, tão decantado por filósofos, não
resolve o problema. Ninguém pode autovalidar-se, por
definição. Você sempre será um ninguém, a não ser que
outros o validem como alguém.
Validar o outro significa confirmá-lo, como dizer:
"Você tem significado para mim". Validar é o que um
namorado ou namorada faz quando lhe diz: "Gosto de você
pelo que você é ".
Quem cunhou a frase "Por trás de um grande homem existe
uma grande mulher"( e vice-versa) provavelmente estava
pensando nesse poder de validação que só uma companheira
amorosa e presente no dia-a-dia poderá dar.
Um simples olhar, um sorriso, um singelo elogio são
suficientes para você validar todo mundo.
Estamos tão preocupados com a própria insegurança que não
temos tempo para sair validando os outros.
ESTAMOS TÃO PREOCUPADOS EM MOSTRAR QUE SOMOS O "MÁXIMO"
que esquecemos de dizer aos nossos amigos, filhos e
cônjuges que o "MÁXIMO" são ELES.
Puxamos o saco de quem não gostamos, esquecemos de
validar aqueles que admiramos. Por falta de validação,
criamos um mundo consumista, onde se valoriza o ter e não
o ser. Por falta de validação, criamos um mundo onde
todos querem mostrar-se ou dominar os outros em busca de
poder.
Validação permite que pessoas sejam aceitas pelo que
realmente são, e não pelo que gostaríamos que fossem.
Mas,justamente graças a validação, elas começarão a
acreditar em si mesmas e crescerão para ser o que
queremos.
Se quisermos tornar o mundo menos inseguro e melhor,
precisaremos treinar e exercitar uma nova competência:
validar alguém todo dia. Um elogio certo, um sorriso, os
parabéns na hora certa, uma salva de palmas, um beijo, um
dedão para cima, um "valeu cara, valeu".

Você já validou alguém hoje? Então comece já, por mais
inseguro que você esteja.
Eu estou validando VOCÊ.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

APRENDA

Eu apreendi..
Que não posso exigir o amor de ninguém,posso apenas dar boas razões para que gostem de mim e ter paciência para que a vida faça o resto;Que não importa o quanto certas coisas são importantes para mim, tem gente que não dá a mínima e jamais conseguirei convencê-las que posso passar anos construindo uma verdade e destruí-la em apenas alguns segundos.Que posso fazer algo em um minuto e ter que responder por isso o resto da minha vida;Que por mais que você corte o pão em fatias, esse pão continua tendo duas faces, e o mesmo vale para tudo o que cortamos de nosso caminho.
Que vai demorar muito para me transformar na pessoa que quero ser, e devo ter paciência;Que posso ir além dos limites que eu próprio coloquei;Que eu preciso escolher entre controlar meus pensamentos ou de ser controlada por eles.
Que os heróis são pessoas que fazem o que acham que devem fazer naquele momento,independentemente do medo que sentem;Que perdoar exige muita prática; condenar é mais fácil !Que há muita gente que gosta de mim,mas que não conseguem expressar isso.
Que nos momentos mais difíceis, a ajuda veio justamente daquela pessoa que eu achava que iria tentar piorar a minha vida.Que eu posso ficar furioso, tenho o direito de me irritar, mas não tenho o direito de ser cruel;Que jamais posso dizer a uma criança que seus sonhos são impossíveis. Será uma tragédia para o mundo se eu conseguir convencê-la disso.
Que meu melhor amigo vai me machucar de vez em quando,que eu tenho que me acostumar com isso;Que não é bastante ser perdoado pelo outros,eu preciso me perdoar primeiro;Que, não importa o quanto meu coração esteja sofrendo, o mundo não vai parar por causa disso.
Que as circunstâncias de minha infância são responsáveis
pelo que eu sou, mas não pelas minhas escolhas que eu fiz quando adultoQue numa briga, eu preciso escolher de que lado estou,mesmo quando não quero me envolver.Que , quando duas pessoas discutem não significa que elas se odeiem.Que por mais eu queira proteger meus filhos,
eles vão se machucar e eu também serei machucado,
isso faz parte da vida;Que minha existência pode mudar para sempre
em poucas horas, por causa de gente que nunca vi antes;Que diplomas na parede não me fazem
mais respeitável ou mais sábio.
Que a palavra amor perde o sentido, quando usada sem critério;Que certas pessoas vão embora de qualquer maneira;quer você queira ou não;Que é difícil traçar uma linha entre ser gentil,
não ferir pessoas, e saber lutar pelas coisas que acredita.
Eu aprendi:

Que sou mais forte que imaginava, e que posso ir mais longe depois de pensar que não podia mais;
E que realmente a vida tem valor e eu tenho valor diante da vida !

(william shakespeare)

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

TENHA CUIDADO

Sempre que houver alternativas tenha cuidado.

Não opte pelo conveniente, pelo confortável, pelo respeitável, pelo socialmente aceitável.

Opte pelo que faz o seu coração vibrar.

Opte pelo que gostaria de fazer, apesar de todas as conseqüências.

Arque com elas com a certeza e a convicção de que apesar de tudo, você faria tudo de novo.

Imagine algo que ninguém nunca imaginou. Convoque aqueles que querem fugir do lugar comum.

Transforme um lugar num cenário perfeito. E aí você poderá dizer: eu estava lá

Tenha em mente que o absurdo é a razão lúcida que contata seus limites.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

HOMEM INTELIGENTE FALANDO DAS MULHERES

Um homem Inteligente Falando das Mulheres

O desrespeito à natureza tem afetado a sobrevivência de vários seres e entre os mais ameaçados está a fêmea da espécie humana.
Tenho apenas um exemplar em casa,que mantenho com muito zelo e dedicação, mas na verdade acredito que é ela quem me mantém. Portanto, por uma questão de auto-sobrevivência, lanço a campanha "Salvem as Mulheres!"
Tomem aqui os meus poucos conhecimentos em fisiologia da feminilidade a fim de que preservemos os raros e preciosos exemplares que ainda restam:

Habitat
Mulher não pode ser mantida em cativeiro. Se for engaiolada, fugirá ou morrerá por dentro. Não há corrente que as prenda e as que se submetem à jaula perdem o seu DNA. Você jamais terá a posse de uma mulher, o que vai prendê-la a você é uma linha frágil que precisa ser reforçada diariamente.

Alimentação correta
Ninguém vive de vento. Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem, sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro. Beijos matinais e um "eu te amo!" no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia. Um abraço diário é como a água para as samambaias. Não a deixe desidratar. Pelo menos uma vez por mês é necessário, senão obrigatório, servir um prato especial.

Flores
Também fazem parte de seu cardápio.
Mulher que não recebe flores murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade.

Respeite a natureza
Você não suporta TPM? Case-se com um homem. Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia, discutir a relação? Se quiser viver com uma mulher, prepare-se para isso.

Não tolha a sua vaidade
É da mulher hidratar as mechas, pintar as unhas, passar batom, gastar o dia inteiro no salão de beleza, colecionar brincos, comprar muitos sapatos, ficar horas escolhendo roupas no shopping. Entenda tudo isso e apoie.

Cérebro feminino não é um mito
Por insegurança, a maioria dos homens prefere não acreditar na existência do cérebro feminino. Por isso, procuram aquelas que fingem não possuí-lo (e algumas realmente o aposentaram!). Então, aguente mais essa: mulher sem cérebro não é mulher, mas um mero objeto de decoração. Se você se cansou de colecionar bibelôs, tente se relacionar com uma mulher. Algumas vão lhe mostrar que têm mais massa cinzenta do que você. Não fuja dessas, aprenda com elas e cresça. E não se preocupe, ao contrário do que ocorre com os homens, a inteligência não funciona como repelente para as mulheres.

Não faça sombra sobre ela
Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém, se ela estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda.

Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar. O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo.

É, meu amigo, se você acha que mulher é caro demais, vire gay.

Só tem mulher quem pode!


Luiz Fernando Veríssimo

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

RECOMECE

Não importa onde você parou …
em que momento da vida você cansou…
o que importa é que sempre é possível e necessário “Recomeçar”.
Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo…
é renovar as esperanças na vida e o mais importante…
acreditar em você de novo…
Sofreu muito nesse período? Foi aprendizado.
Chorou muito? Foi limpeza da alma.
Ficou com raiva das pessoas? Foi para perdoá-las um dia.
Tem tanta gente esperando apenas um sorriso seu para “chegar” perto de você.
Recomeçar…
hoje é um bom dia para começar novos desafios.
Onde você que chegar?
Ir alto… sonhe alto…
queira o melhor do melhor…
pensando assim trazemos pra nós aquilo que desejamos…
Se pensarmos pequeno coisas pequenas teremos ….
Já se desejarmos fortemente o melhor e principalmente lutarmos pelo melhor, o melhor vai se instalar em nossa vida.
“Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do tamanho da minha altura.”

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

QU4TRO

Um dia a maioria de nós vai se separar. Sentiremos saudades das conversas jogadas fora, das descobertas que fizemos dos sonhos que tivemos e tantos risos e momentos que foram compartilhados. Sentiremos saudades dos momentos de angustia, das lagrimas, das vésperas de final de semana e final de ano, enfim de todo o companheirismo.

Eu sempre pensei que as amizades durassem para sempre. Mas hoje eu já não tenho tanta certeza disso, em breve cada um vai para o seu lado, seja pelo destino, seja por causa de algum desentendimento, enfim segue sua vida.

Podemos nos telefonar, dizer algumas bobagens, mas ai os dias vão passar, meses, anos até que esse contato se torne cada vez mais raro. Vamos nos perder no tempo.

Um dia nossos filhos olharão aquelas fotografias e perguntarão: quem são aquelas pessoas? Diremos que foram nossos amigos e isso vai doer muito. Foi com eles que eu vivi os melhores momentos da minha vida.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

O NOVO SURFISTA

“Acho que na sociedade actual nos falta filosofia. Filosofia como espaço, lugar, método de reflexão, que pode não ter um objectivo determinado, como a ciência, que avança para satisfazer objectivos. Falta-nos reflexão, pensar, precisamos do trabalho de pensar, e parece-me que, sem ideias, nao vamos a parte nenhuma.”

O novo surfista

A passos largos, os surfistas parecem largar o “baseado” e a bermuda e aderir a uma vida profissional cheia de gravatas e uma vida cultural eclética e heterogênea. Evidentemente tal afirmação é uma figura de linguagem, mas representa bem o êxodo cultural dos amantes d’água ocorrido através das décadas e que se configura atualmente em uma valiosa informação a quem deseja comunicar-se com tal público.
Não é nenhuma surpresa a queda nas vendas de moda casual das surf shops; hoje existe um novo surfista. Não o do cabelo parafinado e do reggae pulsando na caminhoneta lotada de pranchas, mas o que parece esteticamente tudo, menos um surfista.
O novo surfista pode ser um pai de família que pega sua perua esportiva de luxo nos finais de semana e, enquanto ouve um disco de rock, prepara-se para dois dias intensos sobre a prancha. Pode ser um jovem rapaz que está atento às tendências de arte e estilo, um publicitário interessado em caipirinhas ou um sambista que apenas aprecia o esporte e nunca ouviu falar em Robert Nesta Marley, o Bob.
O estilo do surfista noventista já não dita mais tendências e tentar puxar este consumidor por tais costumes é como pescar cardume com linha. E nós sabemos: surfista não é lá muito fã dos pescadores...
Além disso, uma nova prática para pegar onda informalmente chamada de internet começou a obrigar as marcas a observarem que os surfistas marítimos são, também, surfistas cibernéticos e, como todos os internautas, absorvem tendências instantâneas e são sedentos por novidade. O ontem é uma onda que já quebrou para quem está no mar ou na rede e, antes de ser um surfista, o individuo é pai, ouvinte, plateia, internauta, eclético e não emplasta as bochechas de filtro solar, como nos bons e velhos tempos.
Assim como nem todas as crianças jogam bilboquê, nem todos os ratos de praia gostam de açaí com banana e muita granola.
O novo surfista é qualquer um.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

PALCO DA VIDA

Você pode ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não se esqueça de que sua vida é a maior empresa do mundo. E você pode evitar que ela vá à falência.
Há muitas pessoas que precisam, admiram e torcem por você. Gostaria que você sempre se lembrasse de que ser feliz não é ter um céu sem tempestade, caminhos sem acidentes, trabalhos sem fadigas, relacionamentos sem desilusões.
Ser feliz é encontrar força no perdão, esperança nas batalhas, segurança no palco do medo, amor nos desencontros.
Ser feliz não é apenas valorizar o sorriso, mas refletir sobre a tristeza. Não é apenas comemorar o sucesso, mas aprender lições nos fracassos. Não é apenas ter júbilo nos aplausos, mas encontrar alegria no anonimato.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um "não". É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Ser feliz é deixar viver a criança livre, alegre e simples, que mora dentro de cada um de nós. É ter maturidade para falar "eu errei". É ter ousadia para dizer "me perdoe". É ter sensibilidade para expressar "eu preciso de você”. É ter capacidade de dizer "eu te amo". É ter humildade da receptividade.
Desejo que a vida se torne um canteiro de oportunidades para você ser feliz... E, quando você errar o caminho, recomece, pois assim você descobrirá que ser feliz não é ter uma vida perfeita, mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância.
Usar as perdas para refinar a paciência.
Usar as falhas para lapidar o prazer.
Usar os obstáculos para abrir as janelas da inteligência.
Jamais desista de si mesmo.
Jamais desista das pessoas que você ama.
Jamais desista de ser feliz, pois a vida é um espetáculo imperdível, ainda que se apresentem dezenas de fatores a demonstrarem o contrário.
Pedras no caminho? Guardo todas... Um dia vou construir um castelo!

Fernando Pessoa

fonte: http://bobbahlis.blogspot.com/

domingo, 18 de julho de 2010

DEFINITIVO

Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas,
mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.

Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos
o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções
irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado
do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter
tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que
gostaríamos de ter compartilhado,
e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.

Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas
as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um
amigo, para nadar, para namorar.

Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os
momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas
angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.

Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.

Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo
confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam,
todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.

Por que sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma
pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez
companhia por um tempo razoável,um tempo feliz.

Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um
verso:

Se iludindo menos e vivendo mais!!!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida
está no amor que não damos, nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do
sofrimento,perdemos também a felicidade.

A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional...

quinta-feira, 17 de junho de 2010

UM POUCO DE QUINTANA

'A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta-feira...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê, já passaram-se 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado.
Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando, pelo caminho, a casca dourada e inútil das horas.
Desta forma, eu digo: Não deixe de fazer algo que gosta devido à falta de tempo, a única falta que terá, será desse tempo que infelizmente não voltará mais.'


Um dia descobrimos que beijar uma pessoa para esquecer outra, é bobagem.
Você não só não esquece a outra pessoa como pensa muito mais nela...
Um dia descobrimos q se apaixonar é inevitável...
Um dia percebemos que as melhores provas de amor são as mais simples...
Um dia percebemos que o comum não nos atrai...
Um dia saberemos que ser classificado como o "bonzinho" não é bom...
Um dia perceberemos que a pessoa que nunca te liga é a que mais pensa em você...
Um dia saberemos a importância da frase: "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas..."
Um dia percebemos que somos muito importantes para alguém mas não damos valor a isso...
Um dia percebemos como aquele amigo faz falta, mas ai já é tarde demais...
Enfim...
um dia descobrimos que apesar de viver quase 100 anos, esse tempo todo não é suficiente para realizarmos todos os nossos sonhos,
para dizer tudo o que tem de ser dito.
O jeito é: ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida ou lutamos para realizar todas as nossas loucuras.

sábado, 22 de maio de 2010

O PEIXE-BABEL

"O peixe-babel", disse O Guia do Mochileiro das Galáxias, baixinho, "é pequeno,
amarelo e semelhante a uma sanguessuga, e é provavelmente a criatura mais estranha em
todo o Universo. Alimenta-se de energia mental, não daquele que o hospeda, mas das criaturas ao redor dele. Absorve todas as freqüências mentais inconscientes desta energia mental e se alimenta delas, e depois expele na mente de seu hospedeiro uma matriz telepática formada pela combinação das freqüências mentais conscientes com os impulsos nervosos captados dos centros cerebrais responsáveis pela fala do cérebro que os emitiu. Na prática, o efeito disto é o seguinte: se você introduz no ouvido um peixe-babel, você compreende imediatamente tudo o que lhe for dito em qualquer língua. Os padrões sonoros que você ouve decodificam a matriz de energia mental que o seu peixe-babel transmitiu para sua mente.

"Ora, seria uma coincidência tão absurdamente improvável que um ser tão
estonteantemente útil viesse a surgir por acaso, por meio da evolução das espécies, que
alguns pensadores vêem no peixe-babel a prova definitiva da inexistência de Deus.
"O raciocínio é mais ou menos o seguinte: 'Recuso-me a provar que eu existo', diz
Deus, 'pois a prova nega a fé, e sem fé não sou nada.'
"Diz o homem: 'Mas o peixe-babel é uma tremenda bandeira, não é? Ele não
poderia ter evoluído por acaso. Ele prova que você existe, e portanto, conforme o que você
mesmo disse, você não existe. QED(do latim quod emt demonstrandum - como queremos demonstrar)
"Então Deus diz: 'Ih, não é que eu não tinha pensado nisso?' E imediatamente
desaparece, numa nuvenzinha de lógica.
"'Puxa, como foi fácil', diz o homem, e resolve aproveitar e provar que o preto é
branco, mas é atropelado ao atravessar fora da faixa de pedestres.
"A maioria dos teólogos acha que este argumento é uma asneira, mas foi com base
nela que Oolon Colluphid fez uma fortuna, usando-a como tema central de seu best-seller
Sai Dessa, Deus.
"Enquanto isso, o pobre peixe-babel, por derrubar os obstáculos à comunicação
entre os povos e culturas, foi o maior responsável por guerras sangrentas, em toda a história
da criação."

Douglas Adams

quarta-feira, 5 de maio de 2010

DIA DE SORTE

Os mesmos tênis da mesma cor
E nas torradas o mesmo sabor
Vestindo o mesmo sueter que a minha avó me fez

Eu espirrei,
Ela me olhou
Me deu um lenço
E o tempo parou

Se eu mereci, nem sei
talvez ela nunca volte
Nem lembro o que eu falei
Mas hoje foi meu dia de sorte

No rádio a velha fita de hardcore
Me faz lembrar que a vida vai ser melhor
E bem que todo dia podia ser assim

(Houdini)

terça-feira, 27 de abril de 2010

O CASAMENTO

A última música lenta começa. Na pista um casal de amigos dança solitário:

- Casamento sempre tem essa sensação de final feliz.
- É. E eu finalmente tenho minha resposta.
- Pra que?
- Se vale a pena não arriscar a felicidade eterna no paraíso por felicidade passageira na Terra.

Um olhar.

Uma pausa.

Ela corre.

sábado, 6 de março de 2010

O sonho de um homem rídiculo

"... Adormeci totalmente sem perceber. Os sonhos, como se sabe, são uma coisa extraordinariamente estranha: um se apresenta com assombrosa nitidez, com minucioso acabamento de ourivesaria nos pormenores, e em outro, como que sem se dar conta de nada, você salta, por exemplo, por cima do espaço e do tempo. Os sonhos, ao que parece, move-os não a razão, mas o desejo, não a cabeça, mas o coração,e no entanto que coisas ardilosas produzia às vezes a minha razão em sonho!No entanto, em sonho acontecem com ela coisas completamente inconcebíveis..."



Fiódor Dostoiévski

terça-feira, 2 de março de 2010

A vida como ela é

Calor demais, trânsito em São Paulo, tudo parado.
De um lado: uma Mercedes com ar condicionado, uma madame e motorista;
Do outro: um fusquinha com um gordinho todo suado e a barba por fazer...
O gordinho xinga, buzina, faz um escarcéu por causa do trânsito até que a madame baixa o vidro do Mercedes e diz:

- "A paciência é a mais nobre e gentil das virtudes!": Shakespeare, em "Macbeth".

O gordinho não deixa barato:

- "Vá tomar no cu!": Nelson Rodrigues, em "A vida como ela é".

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Aprendi

Até hoje aprendi que todos somos iguais. Mesma matéria. Mesmos propósitos, sonhos e ambições. Sim. Todos procuramos a felicidade.

Alguns de um jeito, outros de outro. Mas, quem irá julgar o que é certo, e o que é errado?

Aprendi que o coração faz isso! Aprendi que o coração não julga os outros. Ele os aceita e filtra o que é bom para nós!

Aprendi que não se precisa de muito para ser feliz. Com as pessoas certas, tudo é felidade.

Aprendi que do amor tudo nasce. O amor dá vida a tudo, a todos. O simples amor que salva, que ajuda. Ampara. Cura. Faz arte, música. Que me faz rir e chorar. Que me faz querer que tu me ame.

Pois aprendi que esse é o meu combustível! Aprendi q o sentido da minha vida envolve esse tal amor, amar viver, amar alguém, amar a natureza, esportes, lugares, pessoas, amar ser amado! Aprendi q tem gente q ainda não conhece o tal amor. Talvez por isso sejamos tão diferentes. Aprendi q as pessoas não se encontram por acaso. Que sempre aprendemos uma lição, que sempre damos uma lição. E que fazemos parte da lição.

Aprendi que quem não conhece o tal amor, não conhece a tal lição, não conhece o tal aprender e não conhece a tal felicidade…

Aprendi que esse tipo de gente, por menos amor que tu aches q mereça; são os q mais precisam de amor!

Aprendi com os livros,com as pessoas, com meus pais, meus erros e dos outros. Aprendi com os acertos dos outros, aprendi que errar é humano, e TODO mundo erra.

Aprendi que com edução se vai longe, se desarma alguém, se acaba com aquela cara emburrada, elimina a raiva e desfaz inimigos.

Aprendi q o cérebro humano não tem limite nenhum. É só aprender a usá-lo.

Aprendi q a fé realmente move montanhas…

Aprendi que ser humilde é lindo, que agrada todo mundo, que não cria inimigos e só atrai mais pessoas a te amarem.

Aprendi que nunca estamos sozinhos. E que nada na vida surge do acaso.

Aprendi que temos de respeitar a natureza para q ela possa nos respeitar.

Aprendi muito esses nesses anos de vidaS. Mas o mais importante, aprendi que nada sei. Já que aquele q nada sabe, sempre vai atrás de mais, em uma busca eterna por conhecimento. Por experiências,lições, emoções, novas amizades, novas idéias, culturas,referências e novos mundos. Enfim, o dia que tudo eu souber, talvez minha vida não tenha mais sentido. Então posso descansar em paz debaixo de alguma árvore no paraíso…

Será q eu quero mesmo descansar???? Será q não é muito chato???

Aprendi a dar risada da vida. De todas situações, e que TUDO TEM UM LADO BOM.

Escrevo tudo isso pra quem reclama da vida. Pra quem acha que tudo sabe. Pra quem vive triste tendo TUDO(pernas,braços,visão,audição,FAMILIA,CÉREBRO) TUDO e ainda reclama da vida.

Por que não te imagina no lugar de quem já perdeu muito?? E APRENDE?


Igor Beron

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Confrontando o inimigo

Fora da noite que me cobre,
Negro como o poço de pólo a pólo,
A qualquer Deus - se algum acaso existe
Por minha alma inconquistável agradeço.
Nas garras da circunstância
Eu não vacilei e nem me ouviram chorar.
Sob os golpes do acaso
Minha cabeça sangra mas permanece ereta.
Além deste lugar de rancor e lágrimas
Somente o Horror das sombras se anuncia.
E mesmo a ameaça dos anos
Encontra, e há de encontrar-me, destemido.
Não importa quão estreito o portão"
Quão repleto de penas o veredicto,
Eu sou o mestre do meu destino.
Eu sou o capitão da minha alma.


Nelson Mandela - preso por 30 anos